O que não pode faltar em um relatório de marketing digital? Baixe nosso modelo.

Investir em Marketing Digital é essencial para sua empresa crescer; mas como saber se o investimento traz retornos? Quais são os resultados? Não é difícil vermos relatórios  focamos em métricas da vaidade. Números como likes no Facebook, curtidas no Instagram, visualizações no YouTube e reproduções no Spotify em muitos casos são superficiais e não representam resultados efetivos.

Como apresentar os relatórios que comprovam resultados?

Não estamos dizendo que não são importantes — afinal, cada campanha tem o seu objetivo. Uma ação de branding, por exemplo, com foco no fortalecimento da marca, deve apresentar esses números no relatório. Mas espera: todos sabemos da facilidade de fazer uma campanha de captação de fãs no Facebook, certo?

OK, imagine essa campanha mal-segmentada. Encheríamos nossa fanpage de pessoas que não fazem parte do nosso público. Nesse caso, os números seriam uma ilusão, teríamos muitos fãs, pouquíssimo engajamento e a campanha não atingiria sua meta mesmo apresentando números de encher os olhos.

O que deve ter em um relatório?

Para desenvolver um relatório bem-estruturado, o primeiro cuidado é entender o objetivo de cada ação; dessa forma, saberemos qual o retorno esperado e quais informações são importantes na hora de apresentar os resultados.

Então, pense: está trabalhando com uma ação institucional? Promocional? Precisa gerar leads? Independentemente do tamanho da campanha ou do projeto, um relatório básico deve responder às seguintes perguntas: o que foi feito? Quanto foi investido? Como foi investido? Qual o resultado?

Veja quais os principais cuidados que se deve ter para criar um relatório eficiente.

Configuração para boa extração de dados

Antes de começar o relatório é importante ter certeza de que a ferramenta de Data e Analytics, como Google Analytics, está com as configurações adequadas para as informações que precisam constar no relatório.

Mas, lembre-se que as configurações precisam ser ajustadas previamente para facilitar a extração dos dados. Esse ajuste também faz parte do objetivo do projeto; por isso, tenha em mente quais dados são importantes serem extraídos.

Configure no mínimo as metas de conversão. Caso você utilize uma ferramenta de automação de marketing, o primeiro passo é cuidar das integrações.

1. Pontos positivos

Tendo a certeza de que está tudo em ordem com a ferramenta de extração de dados, você pode começar seu relatório. Nada melhor do que iniciar com boas notícias! Chame de pontos positivos, destaque do mês — enfim, o relatório é seu. O importante aqui é destacar o que deu certo. Exemplo:

  • Aumento de 10% na geração de leads comparado ao mês passado.
  • Baixamos o custo dos anúncios de click-to-site para R$ 0,01.
  • Conversões aumentaram em 15%.
  • Acessos orgânicos superaram a média do ano passado.

2. Interprete os dados

Um relatório eficiente não é feito apenas de números. Cada dado deve ser interpretado de forma a apresentar informações sobre o comportamento do consumidor dentro da campanha. Em qual momento do funil de vendas o cliente converteu? Quantas pessoas abandonaram o carrinho? Quantas pessoas voltaram ao site por uma ação de remarketing?

O relatório deve apresentar esses números, mas principalmente o que eles significam dentro da estratégia da campanha.

3. Conheça o público que vai receber seu relatório

Uma dica de ouro para criar relatórios eficientes é saber quem receberá a informação. Se você vai apresentar para o seu diretor, tenha o cuidado de elaborar um material enxuto com os dados mais importantes, sem investir em muito detalhamento.

Essa estratégia muda quando o relatório for direcionado a uma equipe de marketing. Nesse caso, é fundamental detalhar cada tópico e estratégia.

Veja um modelo de relatório para seguir

Além dessas dicas, nós preparamos um modelo de relatório padrão que você pode editar e usar como quiser.

O que não pode faltar em um relatório de marketing digital?

  • Share post