Plágio na internet

Um dos casos relacionados ao uso incorreto de conteúdo sem autorização do autor ou sem pagamento do Direito Autoral é o plágio. Considerado o roubo de propriedade intelectual, definida por Pablo Assis, em Baixaki :Basicamente, todo autor é considerado dono de sua obra, pelo menos dono do conteúdo enquanto criador. É isso que se chama de propriedade intelectual”.

Para entender o plágio é necessário anteriormente saber a respeito do plagiador. O fato de estar copiando não quer dizer que, necessariamente, ele é um admirador da sua obra, seja ela um texto num blog ou uma foto. Caso realmente fosse isso, não haveria qualquer problema em citar o autor da obra. O plagiador, motivado pela falsa idéia de anonimato, será recompensado de alguma forma com a sua obra, por isso ele a rouba.

Tratando-se de blogs, Jonathan Bailey, autor de Plagiarism Today, explica que as vítimas deste roubo virtual são blogueiros não muito conhecidos, nem desconhecidos, são aqueles de repercussão média: “Blogueiros famosos e muito conhecidos não vêem muito plágio de copy-and-paste, porque sua popularidade os isola. Blogueiros desconhecidos não são muito plagiados porque não foram descobertos por ninguém, e se são lidos, geralmente seu conteúdo é pessoal demais para ser usado em outro lugar. (Trecho retirado de Blosque)”.

Licenças foram criadas então para que sua obra tenha os direitos reservados, seja de forma total ou parcial. Todos os Direitos Reservados são garantidos a partir de Copyright, já Creative Crommons é mais flexível, permite alterações de sua obra, só não a reprodução fiel da mesma.

Contudo, licenças não possuem 100% de eficácia, ainda sim você pode ser vítima de plágio. E caso isso aconteça, a melhor medida a ser tomada é exigir que sua obra seja removida do local onde foi exposta. Se houver negação, envie uma Notificação Extra-Judicial. Em último caso, uma ação legal será movida e o plagiador cumprirá suas exigências.

  • Share post